domingo, 31 de janeiro de 2010

TUDO BEM



Pouco me importa

Se queres me ver,

Se me conheces,

Se tiver de ser será,

Que venha,

Estou pronta...

Pouco me importa

Se me perdes,

Oportunidade teve,

Se jogou fora,

Pouco importa de novo

Aprendi a acionar a tecla,

Dane-se, por excelência,

Ou por conseqüência,

Pouco importa se me conheceu um dia,

Pouco importa,

Se queres me ver,

Verá se quiser...

De mim não parte sequer uma palavra,

Estou aqui,

Dentro de mim,

Centrada,

Sentada,

A espera...

Que venha,

E se não vier, perdeu...

Pois sou insubstituível....

Irreciclável,

Imperdível,

Só eu sei quanto...


Vera Celms



terça-feira, 26 de janeiro de 2010

BLOGS DO BOLINHA FRANÇA

MEU AMIGO BOLINHA FRANÇA LANÇOU DOIS BLOGS, QUE EU RECOMENDO E GOSTARIA MUITO QUE CONHECESSEM: http://blogdobolinhafranca.blogspot.com/ COM POLITICA E ASSUNTOS GERAIS E O QUE ABORDA RELIGIOSIDADE E ASSUNTOS AFINS: http://religioeseideias.blogspot.com/ . PRESTIGIEM, OBRIGADO!!! BEIJOS BOLINHA, BOA SORTE NA SUA CAMINHADA...

domingo, 24 de janeiro de 2010

LIVRE, LEVE E SOLTA


Ligar a TV e procurar,

As noticias do dia,

Haitimos amplamente,

Com os olhos e o peito inundado,

Imagens da destruição,

Alguém que mata alguém,

Com sete tiros,

Pra que? Pra confirmar a morte?

O primeiro já foi demais...

A criança que não soube voar,

A outra que foi arrastada,

O tombo, na calçada,

Na empresa,

Lá em Brasilia,

O tombinho e o tombo federal,

Se encontram no mesmo canal,

Estabacados na opinião popular,

No desacreditar,

Não dá pra se inspirar,

Dá pra praguejar, pra odiar,

Pra desistir,

Vou as musicas,

Vou as imagens dos sites,

Vou as hortelãs hidropônicas(2),

Vou abrir o bico(1) por ai

Vou piar feito pardal,

Vou falar coisa e tal,

Vou inventar assunto,

Vou textuar até defunto,

Vou ler Facundo,

Enfim, vou inventar outro mundo

Vou passear sem sair do lugar,

Senão a chuva me pega,

E me inunda,

E me ilha,

E me formiga por ficar imobilizada,

Pelo menos a mente voa,

O peito perdoa,

E eu continuo a toda, a toa

E feito louca,

Vou planando pela vida,

Livre, leve e solta...

Sempre valsando num sonho de valsa...


Vera Celms

(1) http://abraobico.blogspot.com/

(2) http://hortelashidroponicas.blogspot.com

quarta-feira, 20 de janeiro de 2010

GONZAGUINHA - COM A PERNA NO MUNDO, É, O QUE É O QUE É? (ENSAIO 1990) - BATIDA GENIAL

RASCUNHANDO A FLORESTA


Um dia me diz que sim,

No outro me diz talvez,

Esconde os verbos,

Busca-os devolta no armário,

Cogita enciumar-se de mim

Cita meus versos,

Faz versos sobre eles,

Mas, e sobre mim?

Musa, estranha,

Nua, encantada,

Tão distante,

Não sei se fala de mim

Não sei se fala de outra,

Conquanto que faça versos,

Conquanto que viva na distancia,

Pode ser qualquer uma,

Pode ser mais de uma,

Pode ser coincidência,

Posso ser eu?

Meus olhos te procuram,

Nem verdes como os da musa descrita,

Não são como refletidos no seu mar,

Que talvez reflita passado

São como manhãs de sol, entardecendo,

São como piscinas de verão,

E ainda que eu goste das manhãs frias de inverno,

Meu coração outona em sol ardente,

Solitário, esperando, esperançoso,

Penando sozinho, de um bem desejoso,

Subindo a ladeira da vida,

A duras passadas,

Seria bom dividir assuntos,

Dividir versos, poemas, absurdos,

O caminho talvez parecesse mais leve,

Talvez criasse asas,

Talvez voássemos juntos...

Mas, assim, é só talvez...

Só quem sabe um dia...

Só até mais...

Só de vez em quando.


Vera Celms