domingo, 31 de outubro de 2010

FORA DO RADAR


Não preciso contar ao meu coração,

A idade que tenho,

Ele me conhece bem,

Eu sei, que não tenho mais idade,

Para inventar histórias,

Que cubram tantas paginas deixadas em branco,

No livro da minha vida,

É tanto terreno arenoso, infértil, estéril,

É tanto terreno baldio,

Resultados a relatar tenho muitos,

Mas de tempos idos,

Tenho tanto a contar sobre as quedas que sofri,

E sobre como me levantei,

E sobre quanto tempo demorei,

E sobre como reinventei a vida,

Onde estavam todos mortos,

E sobre como caminho sozinha há tanto tempo...

Não preciso dizer a minha razão,

Onde meus olhos devem parar por mais tempo

Pois eles já conhecem tantos lugares,

E tantos caminhos,

E tantas saídas,

Preciso parar de imaginar soluções,

Respostas,

Preciso parar de tentar adivinhar

O que pensam os outros,

As atitudes deles,

Preciso deixar meu coração contar tudo o que sabe,

Primeiro a mim,

Depois a todos,

É história demais,

É tanta experiência,

É tanto tranco que ele agüenta,

Mas, guarda tudo,

A couraça já é tão dura

Que nem eu mesmo mais o escuto,

Mal o sinto,

Não conversamos mais,

Choro,

E sei que é por ele,

Ou, por sua permissão,

Por isso, sei que ele ainda existe,

Está lá,

Mas aonde?

Difícil lembrar de alguns detalhes,

Depois que o tempo passa,

O piloto automático trabalha ha tempo demais,

As defesas são hábeis, ágeis, eficientes

Só que, com o tempo,

Não permitem mais que sejamos vistos...


Vera Celms

sábado, 30 de outubro de 2010

31 DE OUTUBRO - DIA DO POETA VIRTUAL





PARABÉNS A TODOS OS AMIGOS, POETAS VIRTUAIS

Conferir "Os melhores da semana! tema: MEU PAI MINHA VIDA- 25/10/2009" em Encontro de Poetas e Amigos

VERA CELMS
Conferir 'Os melhores da semana! tema: MEU PAI MINHA VIDA- 25/10/2009'
HOMENAGEM AO SR.KARILIS CELMS através do site ENCONTRO DE POETAS E AMIGOS... COM SAUDADE...
Link:
Os melhores da semana! tema: MEU PAI MINHA VIDA- 25/10/2009

Sobre Encontro de Poetas e Amigos
Encontro de Poetas e Amigos 116 membros
331 fotos
100 videos
317 tópicos
1035 postagens no blog
 
Para controlar os emails que você receberá em Encontro de Poetas e Amigos, clique aqui

domingo, 24 de outubro de 2010

IDAS E VINDAS


Nascemos com as mesmas marcas,

Leves, sutis, irreleváveis

Indisfarçáveis,

Indiscutiveis e inegáveis,

Nascemos pelas mãos dos mesmos anjos,

quando as harpas tocavam,

as trombetas soavam,

As mesmas notas,

ressoadas no universo,

aos quatro ventos,

Quando os querubins anunciavam,

a mesma sintonia,

Somos notas desprendidas

do mesmo concerto divino

da mesma dádiva celestial

Só tomamos rumos diversos,

Viajamos por caminhos tantos,

Rodamos sem rumo

Tantas vezes, em torno do mundo

e nada mudou,

Continuamos ressoando a mesma nota,

Tantas provas nos puseram a prova

Tantas rondas em torno de nós

E o que ganhou distância,

Também ganhou dimensão,

E o que era só uma nota,

um sentimento orquestrou

Afinal, o som bate e volta,

E duas notas, compõem uma harmonia,

Tocamos afinal pelos cantos do mundo,

Apaixonados, alcançando os apaixonados,

Sem nunca nos encontrarmos,

Sinfonia composta um dia a dois corações,

A quatro mãos,

Que ainda que jamais se unam,

Jamais perderão a direção,

E por mais que o vento mude,

Somos as mesmas notas e,

A sinfonia sempre estará no ar,

Sem precisar se justificar...

Vera Celms

domingo, 17 de outubro de 2010

MEDO DE AMAR


Sei que temes o meu amor,

Não por covardia,

Mas pela ironia,

Dos tempos,

Da história,

Da vida,

Temes meu amor,

Pois que é forte,

É puro e inconteste,

Temes meu amor,

Pois o que te sobra de hombridade,

te falta de liberdade,

De coragem,

Temes o meu amor,

Como temes a altura,

Pois sabes,

Que diante da força do vento,

Nenhum planar é seguro,

Sei que esconde os olhos quando me vê

Não me incomodo mais agora,

Pois também aprendi,

a esconder que te amo...

Vera Celms



Licença Creative Commons
A obra MEDO DE AMAR de Vera Celms foi licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição - Uso Não-Comercial - Obras Derivadas Proibidas 3.0 Não Adaptada.

domingo, 10 de outubro de 2010

PRAZER DE GOSTAR


Espero uma palavra,

Um olhar,

Um pensamento latente,

Na madrugada insone,

No desejo,

Na saudade,

No medo de querer reconquistar,

Ainda que com medo de perder,

Espero em ti a mesma dor,

Que dói no meu peito,

A mesma ansiedade por uma palavra,

Por uma inquietação incômoda

Um andar pelo quarto,

Pela casa,

Por todas as lembranças,

Recentes ou não,

Espero em ti a mesma duvida,

Do querer saber,

Do pensamento latente,

Da saudade,

Do desejo,

Do querer voltar,

E ficar,

E apostar todas as fichas,

Ainda que seja tão arriscado,

Viver o que tiver de viver,

Pelo prazer de viver,

Pelo prazer de gostar de ter prazer,

Pelo prazer de somente gostar,

De se entregar,

De amar escondido,

De vez em quando,

Quando der,

Quando puder,

Quando quiser,

Relembrar, reviver,

Ou renascer mais uma vez...

Vera Celms

terça-feira, 5 de outubro de 2010

VIRTUALIDADE


A imagem tem dois lados,

A do espelho e a realidade,

Um não existe sem o outro,

Não há imagem sem o cristal no espelho,

Não há imagem sem personagem,

Quando a imagem vira pedra,

O espelho corre riscos,

Cubram-se os espelhos,

As bruxas estão soltas,

Voando com pedras nas mãos,

Depois de tanta realidade vivida,

O virtual passa a ser só imaginação,

Da mesma forma que a sensação,

por pura sensação,

Perde o sentido, perde a razão.

Vera Celms