domingo, 31 de julho de 2011

TECENDO A TRAMA


Tecemos a trama,
A vida inteira,
Como a aranha faz a teia
Delicada e esvoaçante,
Mas, forte e resistente...
Afinal, é vida pra vida inteira
As vezes tecemos durante o dia
Mas desmanchamos, na calada da noite
Um bordado, trama perfeita
Cores, brilhos, reflexos, estratégias
Desenhos imaginados, pontos formados
Laçadas completas arrematadas
Alguns nós, só seguram a trama
Outros amarram decisões
Prevenção contra maremotos e vulcões
E a trama vai crescendo, se fortalecendo
Para agüentar o rebordado de todo dia...
Só tecendo trama firme...
Senão, é outro tipo de trama, é emboscada...

Vera Celms

Licença Creative Commons
A obra TECENDO A TRAMA de Vera Celms foi licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição - Uso Não Comercial - Obras Derivadas Proibidas 3.0 Não Adaptada.

domingo, 24 de julho de 2011

DEMANHANZIM


Então ele me perguntou
O que estaria eu fazendo?
Respondi que nada fazia
E como ele também não fazia nada
Fomos jogando conversa fora
Então o tempo voou... voou... voou
Para lugares tão distantes
Para idéias tão interessantes
Fomos e voltamos varias vezes
Daqui pra lá, de lá pra cá...
Caminhando, fomos caminhando
Andando, andando sem parar
Pensei mesmo que nunca fossemos chegar
Afinal, nem sabia onde aquele caminho ia dar
Chegamos então numa casa
E continuamos a conversar
Me convidou a entrar
Me ofereceu para sentar
Me mostrou a casa e o jardim
E o papo, não tinha mais fim
O dia todo passou
E como a noite chegou
Eu olhei pra ele, ele olhou pra mim
Como nada mais havia a fazer
Resolvemos não fazer nada,
Noite afora... até demanhanzim...

Vera Celms

Licença Creative Commons
A obra DEMANHANZIM de Vera Celms foi licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição - Uso Não Comercial - Obras Derivadas Proibidas 3.0 Não Adaptada.

sábado, 16 de julho de 2011

Com orgulho, aos HOMENS da minha vida: GIULIANO CELMS e VINICIUS CELMS - PELO DIA DOS HOMENS
















MEUS FILHOS HOMENS


Cumpram, meus filhos homens
A linha mestra e sublime
[Que o vosso pai ignorou]
Espelhem-se naquele
Que a mim ensinou
A delicia e a beleza de SER HOMEM
Menino, marido, pai e avô,
Condutor, assertivo indicador
dos melhores caminhos que conheci
e que a vocês fiz questão de mostrar
Construam sempre.
Um homem sabe dignificar o viril
Sabe empunhar a vida com pulso firme
E com a outra mão, enxugar a lágrima
antes que caia diante do passo
Sabe tocar de leve o rosto de uma mulher
E ainda que não lhe ofereça flores
Cede-lhe o lugar,
Oferece-lhe a mão
E a confiança do olhar
Alivia-lhe o peso possível
Respeita sempre, meus filhos homens,
Para que o respeito lhes caia sempre muito bem
em peito seguro...
em coração contente
Sorriam para a vida,
Para que a vida lhes sorria devolta,
Riam-se de si mesmos
Cantem, brinquem, assoviem, dancem,
Mantenham na vida, o passo firme,
A cabeça erguida
A coluna ereta
E a direção sempre a frente,
a esperá-los na linha do horizonte
Pois, é pra lá que vão todos os HOMENS.
Felizes, bem felizes, MEUS FILHOS...
FELIZ DIA DOS HOMENS... com muito orgulho.

Vera Celms


A obra MEUS FILHOS HOMENS de Vera Celms foi licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição - Uso Não Comercial - Obras Derivadas Proibidas 3.0 Não Adaptada

domingo, 10 de julho de 2011

NÓS, BARREIRAS DE NÓS

Entre você e eu,
Dois costões enormes e mudos
Paredões infindáveis e infinitos
Estamos nós dois
Perdidos, procurando nossos ecos
O que fazem ecos de mudos?
E não conseguimos enxergar
nem o final dos costões
Que erguem-se altos e imponentes
Únicos; na paisagem, cobrindo a visão
Olhamos para cima, em torno de nos
Pra todos os lados, em círculos,
ContÍnua e seguidas vezes, procurando saídas,
Até que o equilíbrio nos falte
E nos lance ao chão
Nos impedindo o passo, o rumo, a direção,
E nós, girando em torno de nós
Insistimos em continuar, rodando, girando
Paredões, muros,
costões mudos e intransponíveis,
Somos nós, barreiras de nós
Sem fim...enfim...

Vera Celms

Licença Creative Commons
A obra NÓS, BARREIRAS DE NÓS de Vera Celms foi licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição - Uso Não Comercial - Obras Derivadas Proibidas 3.0 Não Adaptada.

SER POETA - FLORBELA ESPANCA - ESPETACULAR!!!

quarta-feira, 6 de julho de 2011

ALZHEIMER, UM MAL SILENCIOSO E SEM LEMBRANÇAS... ATÉ PARA UM POETA...

<a href='http://video.msn.com?vid=fcd253e8-27df-6d50-08d1-83dd00e1bb0d&mkt=pt-br&src=FLPl:embed::uuids' target='_new' title='Sem Palavras' >Vídeo: Sem Palavras</a>

segunda-feira, 4 de julho de 2011

Quebrando o Tabu (2011) | Trailer Oficial

Se até eles que tanto lutaram contra, munidos de Leis e poder, voltaram atrás, quem sou eu para não rever meus conceitos? Nem proibição, nem legalização, mas REGULAMENTAÇÃO. Pense nisso...

domingo, 3 de julho de 2011

ESCREVEMOS A HISTÓRIA

Animava-me tanto
Saber que amanheceria logo
Que outro dia estava vindo
Trazendo bagagem
Pra ficar
Animava-me tanto
Saber que você iria chegar
Que você estava vindo
Pra ficar, com bagagem e tudo mais
Animava-me tanto
Saber que você não partiria
Que não me deixaria só
Que não abriria mão da história
E a escreveria comigo
Que corrigiríamos os episódios mau contados
Que faríamos notas de rodapé
associados a parrudos asteriscos
Animava-me tanto
Saber que protagonizávamos a vida
Na nossa historia real,
Onde nos reconheciam por nosso enredo
E nos apontavam nas ruas
Não distribuíamos autógrafos
Nem jogávamos beijos ao público
Nem tínhamos fãs
Mas certamente,
Teríamos sido felizes para sempre

Vera Celms

Licença Creative Commons
A obra ESCREVEMOS A HISTÓRIA de Vera Celms foi licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição - Uso Não-Comercial - Obras Derivadas Proibidas 3.0 Não Adaptada.