domingo, 26 de agosto de 2012

AMORES DA VIDA INTEIRA




Lembro de ti a noite, na madrugada
Quando o silencio é imenso
E a lua reina sozinha e linda
Acordo pra esperar passar o tempo
Espero dama poesia chorosa
Bater na minha janela, impiedosa
Abraço-a terna e copiosa
Fazendo versos a noite inteira
Choro eu, chora saudade,
Chora sonho a vontade de te ver
Choro eu a ausência de não te ter
Eu te amo e tu me amas
A vida toda
Na distancia, cada qual do seu lado
Duas histórias, dois caminhos
Não nos esquecemos
Não esqueceremos
Uma história em cada história
Caminhando silenciosa
Saudade, ausência, lastima
Ocultas dentro do silencio
Chorando nas madrugadas
Encontramo-nos em sonhos
Abraçados  a mesma saudade
Sem conseguirmos nos tocar
Sem conseguirmos nos amar
Sem conseguirmos nos ter...
A vida inteira e não acabou.

Vera Celms
Licença Creative Commons
O trabalho AMORES DA VIDA INTEIRA de Vera Celms foi licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição - NãoComercial - SemDerivados 3.0 Não Adaptada.

domingo, 19 de agosto de 2012

VACILO?

Pegamos firme,
Forte, duro,
Somos preocupados,
Tensos,
E acabamos por ser outras coisas
Duros, duros e duros
Egoístas,
Mas só vemos depois,
Que o coração estava na boca
Nas mãos,
No chão,
Entre risos e risadas
Entre tudo e quase nadas
E num repente
Num trombolhão,
De sopetão
Todas as palavras saíram rápido demais
Sem arrumação,
De qualquer jeito
E não tem mais opção
Só pedir desculpas
Perdão,
Apesar de ter ouvido tudo errado
Apesar de ter deitado o cercado
Afinal, saiu tudo no arrombo
Pulou o biombo
Fui daqui até lá...
Só por amar... demais...

Vera Celms

quarta-feira, 15 de agosto de 2012

Clip O Chamado Marina Lima


Marina Lima Deve ser assim


Novo Tempo - Ivan Lins


The Stylistics - Greatest Love Hits - Because I Love You, Girl


Rock and Roll lullaby (tradução) B.J. thomas


BEE GEES Ordinary Lives -Wetten Dass


Bee Gees Live - Love So Right - Very Rare HQ


Luiza Possi e Pedro Mariano


Paisagem - Luiza Possi


domingo, 12 de agosto de 2012

BEE GEES Crazy For Your Love -Terry Wogan

Best of The Bee Gees

Fiuk canta Pai e emociona Fabio Jr no Faustao.avi

Diogo Nogueira - Espelho - Ao Vivo e COMPLETO.

REINVENÇÃO DE MIM

   foto colhida na Internet

Abraço a sua nudez tão anônima
Exposta a quem tiver olhos
Lascivos pedintes olhos molhados
Procuro poder ouvir
Entre confissões e versos livres
Não faço estrofes
Não faço troças
Nem rimas
Não gosto de métrica
Não sou pudica
Não durmo em redes
Não me debruço em janelas alheias
Minhas pernas não se cruzam
Não me distraio, não saio a francesa
Assumo-me, comando-me,
Bato em retirada
Volto se e quando me aprouver
Se volta houver
Senão, caio no mundo
Saio de cena
Quebro a cara
Fecho a casa
Apago todas as luzes
Durmo... desperto,
Levanto e dou a volta por cima
Reinvento-me, refaço-me,
Recomeço
Sempre foi assim
E agora, não seria diferente...

Vera Celms
Licença Creative Commons
O trabalho REINVENÇÃO DE MIM de Vera Celms foi licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição - NãoComercial - SemDerivados 3.0 Não Adaptada.

MEMORIA ENCENADA


FOTO DE CARLOS CORTEZ

A história continua ali,
Terreno firme para memórias fortes
A lembrança pulou do banco rumo ao mar
Levando pela mão detalhes incontestes
Os rastros estão por toda parte
Naquele lugar, a vegetação não cresceu
Fazendo-me lembrar do barulho
que fazíamos com os pés ao parar o balanço
Nossos risos continuam ecoando no vento
O sol sorri encabulado enquanto desce
Confirmando também lembrar-se de toda cena
Memórias não mentem
Contam-nos sobre os momentos
Avalizam o estado de espírito, que
Hoje é só saudade,
O verão outonou naquele por do sol
Sem juras de voltar
O sol ainda brinca de equilibrista na linha do horizonte
Pouco antes de deitar-se diante da boca da noite
Mas, não arde como ardia
O céu ainda guarda a gélida trajetória
Em pegadas nuvens, rabiscando o horizonte
Até adormecer...

Vera Celms
Licença Creative Commons
O trabalho MEMORIA ENCENADA de Vera Celms foi licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição - NãoComercial - SemDerivados 3.0 Não Adaptada

Pai-Fábio Junior

domingo, 5 de agosto de 2012

NO FINAL DA RUA



Eu disse pra não voltar
Brava, irritada, nervosa
Cheguei em casa com a raiva na garganta
sufocando, enforcando,
Perdi o centro
Soltei as amarras
Adormeci sentada no sofá da sala
Acordei com o sol brilhando no meu rosto,
que invadia a janela da sala sem permissão
O dia já havia começado a horas
E eu ali, sem noção do tempo
Sem noção da hora
Parada e sem reação
Olhei o movimento da rua gelada
E pude ver ao longe, 
O sol pela ponta dos pés
Espiando por sobre o prédio claro do final da rua...
Aquele mesmo, que nos finais da tarde
Reflete, pelos vidros,
o sol nos meus olhos, no crepúsculo...

Vera Celms
Licença Creative Commons
O trabalho NO FINAL DA RUA de Vera Celms foi licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição - NãoComercial - SemDerivados 3.0 Não Adaptada.

Farewell: Robin Gibb Funeral / Barry Gibb - Tribute To My Brothers / Remember Andy and Maurice / Maurice Gibb (BeeGees) - 1949-2003 - special tribute









Bee Gees - One - Hurricane Concert 1991