domingo, 12 de agosto de 2012

MEMORIA ENCENADA


FOTO DE CARLOS CORTEZ

A história continua ali,
Terreno firme para memórias fortes
A lembrança pulou do banco rumo ao mar
Levando pela mão detalhes incontestes
Os rastros estão por toda parte
Naquele lugar, a vegetação não cresceu
Fazendo-me lembrar do barulho
que fazíamos com os pés ao parar o balanço
Nossos risos continuam ecoando no vento
O sol sorri encabulado enquanto desce
Confirmando também lembrar-se de toda cena
Memórias não mentem
Contam-nos sobre os momentos
Avalizam o estado de espírito, que
Hoje é só saudade,
O verão outonou naquele por do sol
Sem juras de voltar
O sol ainda brinca de equilibrista na linha do horizonte
Pouco antes de deitar-se diante da boca da noite
Mas, não arde como ardia
O céu ainda guarda a gélida trajetória
Em pegadas nuvens, rabiscando o horizonte
Até adormecer...

Vera Celms
Licença Creative Commons
O trabalho MEMORIA ENCENADA de Vera Celms foi licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição - NãoComercial - SemDerivados 3.0 Não Adaptada

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O que achou?