domingo, 30 de setembro de 2012

CORAÇÃO PRIMAVERADO





Ontem, apesar da alta temperatura
Era inverno
Não nevou, nem sequer esfriou
Mas era gelado meu coração
A sua ausência era algoz
Acordei nesta manhã
Senti um sutil contato seu
na fronha que, teimosa, guardou seu cheiro
Abracei o travesseiro depressa
Como se seu corpo fosse
E com o nariz colado a fronha
Suspirei longamente
Imediatamente,
Ainda que por um instante
Meu coração PRIMAVEROU...

Vera Celms
Licença Creative Commons
O trabalho CORAÇÃO PRIMAVERADO de Vera Celms foi licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição - NãoComercial - SemDerivados 3.0 Não Adaptada.

(Just Like) Starting Over - John Lennon


domingo, 23 de setembro de 2012

OLHO POR OLHO



Nós que conseguimos manter,
empunhemos nossos sorrisos
como estandarte, sempre.
Murro em ponta de faca faz doer
e não muda situação nenhuma.
Deixemos para quem queira
essa intransigência com o mundo,
essa necessidade de vingança,
de imposição de posições.
Olho por olho, dente por dente,
é necessário a quem não conhece
ou não quer usar atalhos
e prefere os despenhadeiros.
Continuemos.
Renovemos a doçura possível em nós
Todos os dias,
A cada evento...
Sorria, estamos sendo filmados
Pela vida...


Vera Celms
Licença Creative Commons
O trabalho OLHO POR OLHO de Vera Celms foi licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição - NãoComercial - SemDerivados 3.0 Não Adaptada

Elisa Lucinda - Só de Sacanagem

 Muito propício para a época das eleições. Ouça!

domingo, 9 de setembro de 2012

FOLHEANDO O PASSADO




Um fio de cabelo
Colhido na fronha da ultima noite
Um bilhete marcando o primeiro fortuito encontro
Pétalas de uma rosa
Uma folha, que de verde, enferrujou
A pena caída do voo de uma coruja
Papeizinhos dizendo algo,
que não podia esquecer (e esqueci)
O recorte de um jornal antigo
A foto de um ídolo, recortada de uma revista
Versos, que soltos não fazem o menor sentido
O roteiro de um caminho distante
Contas, receitas, datas,
Letras de antigas musicas,
Poemas rascunhados de você
Tudo permanece igual
Tudo continua lá
A minha espera,
Sem expectativas ou participação
Sem emoção, sem noção
Corro as paginas do velho livro com os dedos
E algo rouba-me o centro,
Estremece-me, delata-me,
E devolve-me ao passado,
Em altíssima velocidade,
O seu perfume, numa tira de papel cartão,
Amareladinho e liso, bem liso,
Ergue-te diante de mim, suspenso no ar,
Em todos e cada espaço
Etiquetando o teu território no meu coração...

Vera Celms
Licença Creative Commons
O trabalho FOLHEANDO O PASSADO de Vera Celms foi licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição - NãoComercial - SemDerivados 3.0 Não Adaptada.

segunda-feira, 3 de setembro de 2012

Cegos do Castelo - Nando Reis & Os Infernais - MTV Ao Vivo



Os Cegos do Castelo

NANDO REIS


Eu não quero mais mentirUsar espinhos que só causam dorEu não enxergo mais o inferno que me atraiuDos cegos do castelo me despeço e vouA pé até encontrarUm caminho, o lugarPro que eu sou
Eu não quero mais dormirDe olhos abertos me esquenta o solEu não espero que um revólver venha explodirNa minha testa se anunciouA pé a fé devagarFoge o destino do azarQue restou
E se você puder me olharE se você quiser me acharE se você trouxer o seu lar
Eu vou cuidar, eu cuidarei deleEu vou cuidarDo seu jardimEu vou cuidar, eu cuidarei muito bem deleEu vou cuidarEu cuidarei do seu jantarDo céu e do mar, e de você e de mim

domingo, 2 de setembro de 2012

Paulinho da Viola - Sinal Fechado (Acústico MTV)


AMORES DA VIDA INTEIRA




Lembro de ti a noite, na madrugada
Quando o silencio é imenso
E a lua reina sozinha e linda
Acordo pra esperar passar o tempo
Espero dama poesia chorosa
Bater na minha janela, impiedosa
Abraço-a terna e copiosa
Fazendo versos a noite inteira
Choro eu, chora saudade,
Chora sonho a vontade de te ver
Choro eu a ausência de não te ter
Eu te amo e tu me amas
A vida toda
Na distancia, cada qual do seu lado
Duas histórias, dois caminhos
Não nos esquecemos
Não esqueceremos
Uma história em cada história
Caminhando silenciosa
Saudade, ausência, lastima
Ocultas dentro do silencio
Chorando nas madrugadas
Encontramo-nos em sonhos
Abraçados  a mesma saudade
Sem conseguirmos nos tocar
Sem conseguirmos nos amar
Sem conseguirmos nos ter...
A vida inteira e não acabou.

Vera Celms
Licença Creative Commons
O trabalho AMORES DA VIDA INTEIRA de Vera Celms foi licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição - NãoComercial - SemDerivados 3.0 Não Adaptada.