domingo, 2 de setembro de 2012

AMORES DA VIDA INTEIRA




Lembro de ti a noite, na madrugada
Quando o silencio é imenso
E a lua reina sozinha e linda
Acordo pra esperar passar o tempo
Espero dama poesia chorosa
Bater na minha janela, impiedosa
Abraço-a terna e copiosa
Fazendo versos a noite inteira
Choro eu, chora saudade,
Chora sonho a vontade de te ver
Choro eu a ausência de não te ter
Eu te amo e tu me amas
A vida toda
Na distancia, cada qual do seu lado
Duas histórias, dois caminhos
Não nos esquecemos
Não esqueceremos
Uma história em cada história
Caminhando silenciosa
Saudade, ausência, lastima
Ocultas dentro do silencio
Chorando nas madrugadas
Encontramo-nos em sonhos
Abraçados  a mesma saudade
Sem conseguirmos nos tocar
Sem conseguirmos nos amar
Sem conseguirmos nos ter...
A vida inteira e não acabou.

Vera Celms
Licença Creative Commons
O trabalho AMORES DA VIDA INTEIRA de Vera Celms foi licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição - NãoComercial - SemDerivados 3.0 Não Adaptada.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O que achou?