domingo, 27 de janeiro de 2013

QUADRADICE





Pego todas as suas formalidades,
Endosso os comentários de chatice,
Adoço o papo pra segurar mais um pouco,
Nada vai...
Jogo café... dormi...
Jogo vodca, estragou a bebida,
Suco de laranja, ficou azedo demais,
Tomei seus comentários,
Usados, por puro desconhecimento de mim,
Misturei com o desinteresse que driblei,
por tanto tempo,
Fiz ouvidos de mercador,
Para só algumas observações,
Me fingi de morta,
Mas, você veio me cutucar,
Com seus valores formais
Borrifei minha paciência,
Com suas atitudes impensadas,
Pelas quais brigou comigo, sem razão,
Sem noção...
E minha paciência, derreteu toda,
Aí vi, que não tinha jeito...
Tanto tentei me aproximar,
E no momento,
Em que seu interesse aumentou,
Aumentou também meu olhar,
do "cuida"  da minha vida...
O que eu posso querer?
Com a sua mania de pobreza,
Com a sua pena de si mesmo,
Com o seu monte de problemas,
que não quer resolver?
Emprestar meus ouvidos?
Minha atenção?
Desculpa...
Dessa vez, fui eu, talvez a injusta,
Bloqueei você na minha lista
Já que não a usava há tanto tempo,
E fiz o que, por muito menos,
Já fizeram comigo...
Sumi... fazer o que?
Contra a sua quadradice
Eu sumo...


Vera Celms
Licença Creative Commons
O trabalho QUADRADICE de
Vera Celms foi licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Não Adaptada.

domingo, 20 de janeiro de 2013

SÓ PAPEL





Fique com as lembranças,
Fique com as fotos
Fico com os momentos
Gravados na memória
Mas, sem saudade
Sem remorso
Nenhum arrependimento
Não cortarei os pulsos
Nenhuma tentação de pular da ponte
Não procurarei ninguém na sua sombra
Buscarei em outros homens,
Outros homens,
Tão diferentes quanto a noite e o dia
Deceparei todo o pensamento de você
Eliminarei culpas
Não buscarei por motivos
Afinal, tudo o que sempre houve
Nem foi real,
Não foi nem prazeroso,
Foi só um papel,
... que se rasgou...

Vera Celms
Licença Creative Commons
O trabalho SÓ PAPEL de Vera Celms foi licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Não Adaptada.

quarta-feira, 16 de janeiro de 2013

Tô Pensando em Ler: Resenha: Brigit - A Bruxa da Noite

Tô Pensando em Ler: Resenha: Brigit - A Bruxa da Noite

Tô Pensando em Ler: Resenha: Brigit - A Bruxa da Noite

Tô Pensando em Ler: Resenha: Brigit - A Bruxa da Noite

Zélia Duncan - Milágrimas

 

Milágrimas

Zélia Duncan

Em caso de dor, ponha gelo
Mude o corte do cabelo
Mude como modelo
Vá ao cinema, dê um sorriso
Ainda que amarelo
Esqueça seu cotovelo
Se amargo for já ter sido
Troque já este vestido
Troque o padrão do tecido
Saia do sério, deixe os critérios
Siga todos os sentidos
Faça fazer sentido
A cada milágrimas sai um milagre
Em caso de tristeza vire a mesa
Coma só a sobremesa
Coma somente a cereja
Jogue para cima, faça cena
Cante as rimas de um poema
Sofra apenas, viva apenas
Sendo só fissura, ou loucura
Quem sabe casando cura
Ninguém sabe o que procura
Faça uma novena, reze um terço
Caia fora do contexto, invente seu endereço
A cada milágrimas sai um milagre
Mas se apesar de banal
Chorar for inevitável
Sinta o gosto do sal
Sinta o gosto do sal
Gota a gota, uma a uma
Duas, três, dez, cem mil lágrimas, sinta o milagre
A cada milágrimas sai um milagre

domingo, 13 de janeiro de 2013

Paixão - Kleiton e Kledir


NA ESCURIDÃO





Estou aqui no escuro

Ouvindo coisas

Vendo fantasmas

Aperto os olhos pra não ver

Ainda assim açoitam meus ouvidos

Tapo os ouvidos pra não ouvi-los

Então descubro que não são fantasmas

Que transitam na minha escuridão

É a saudade de você

Que me faz ver vultos

Ouvir vozes,

São lembranças que povoam

Meu inconsciente

Sem permissão...



Vera Celms
Licença Creative Commons

O trabalho NA ESCURIDÃO de Vera Celms foi licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Não Adaptada.

domingo, 6 de janeiro de 2013

LEMBRANÇA APAZIGUA SAUDADE





Me leva no pensamento,
Por onde for,
Aonde estiver,
Aqui, meu coração,
Continuará batendo
Ritmado, em compasso de espera
Tentando ficar no mesmo passo
Continuo a marchar sozinha
A lembrança de você
Apazigua minha saudade
E a esperança não morrerá jamais...
Aqui no meu peito, no meu pensamento
Continuo sendo sua... sempre sua...
Pra sempre, toda sua...

Vera Celms
Licença Creative Commons
O trabalho LEMBRANÇA APAZIGUA SAUDADE de Vera Celms foi licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Não Adaptada.