domingo, 25 de agosto de 2013

AÇÃO DE BELOBRUXO





Jamais esqueci
Amor de antigamente,
Perdida em beijos e carícias
Envolvida em momentos fugidios
Temendo que não ficasse,
Amarrada por magia fui
Jamais esqueci,
Seus lábios, suas mãos,
Seu cheiro, seu gosto
Sempre quis você pra mim
Outro foi seu rumo
Novo atalho
Deixou-me pelo caminho
Pensando em ti
Jamais feliz, jamais tive você,
Jamais de outro alguém
Não dei fim a vida
Que também não prosseguiu
Fui sua por toda a vida
Belobruxo, me livra do encantamento
Desata a amarração
Devolva-me as asas,
Quero novamente voar
Felicidade, me espera chegar...

Vera Celms
Licença Creative Commons
O trabalho AÇÃO DE BELOBRUXO de Vera Celms foi licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Não Adaptada.

Marjorie Estiano - Cherish (Ao Vivo)

https://soundcloud.com/rick-salles/cherish-marjorie-estiano-3

quarta-feira, 21 de agosto de 2013

A VERDADE DAS COISAS



Ofereci colo as borboletas
Ofereci abrigo a chuva
Dei a mão, ao vento
Soprei as rochas do caminho
Tirei do suor do rosto de uns,
para aumentar o prazer de outros
Provoquei as tempestades,
que se afastaram
Cobri o sol com a mão,
que a ignorou, inundando meu rosto
Chorei por quem falsas palavras pronunciou
E odiei a quem nem conheci
Responsabilizei Deus por todas as coisas
Tanto por aquelas que não me favoreceram
Como pelas outras que tanto me beneficiaram
Quando não recebi respostas aos meus pedidos
Não questionei se as merecia
Preferi duvidar da existência de quem as desse
Olhei para trás, no momento do vendaval
E vi todas as coisas já ruídas
As imagens que se formaram,
eram só reflexos holográficos do que eu quis,
Estendi as mãos, e todos passaram por elas
Abri os braços, e todos passaram por eles
Abri meu coração,
e todos procuraram minhas mãos e braços estendidos
Entendi então, que a verdade edifica
Que o amor constrói
E que as vezes, é só um chacoalhão que nos faz despertar...

Vera Celms
Licença Creative Commons
O trabalho A VERDADE DAS COISAS de Vera Celms foi licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Não Adaptada.
 


domingo, 11 de agosto de 2013

JOGUE O LAÇO





Sabe de mim, o que nem mesmo eu sei
Me conhece pelos feromônios,
que me antecedem, diante de ti
Sabe dos meus gostos
Das minhas aversões
Sabe quem um dia fui
E agora, quem sou
Sabes até que te quero,
E porque não vou
Sabe como me agradar
E como me afastar
Mexes com minha libido
E com minhas reações todas
Daquilo que não havia certeza, contei
Me conheces no ser e no querer
E até no não querer
Sabe onde me fecho,
Sabe onde me abro,
Sabe o que evito,
E onde me lanço
Sabe em que temperatura fervo
E onde gelo
Reconhece cada um dos meus pontos
Sabe onde me pegar
E por onde me soltar
Sabes que me quer,
E que não tem por onde fugir
Se sabes que, inevitavelmente, nos enroscaremos,
Jogue o laço...

Vera Celms

domingo, 4 de agosto de 2013

NENHUMA PALAVRA





Nunca te disse que não voltaria
Baixei os olhos,
Cerrei os lábios
E permiti que o silêncio reinasse em mim
Afastei-me como quem voltasse
De longe ainda pude ver
O sorriso escapado pelos teus olhos
Pensou que me conquistara
Mas ali desferiu o golpe fatal
Nunca te disse que não voltaria...

Vera Celms
Licença Creative Commons
O trabalho NENHUMA PALAVRA de Vera Celms foi licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Não Adaptada.