domingo, 24 de novembro de 2013

DIA DAS NOSSAS BRUXAS





Caí,
Levantei,
De novo, caí...
Aprendi a viver em montanha russa
Dias altos, dias baixos
Dias ensolarados, dias temerosos
Noites enluaradas, breus completos
Frestas, as vezes, visão nenhuma
Estavas sempre comigo,
Por todas essas incursões,
O percurso foi doloroso, não solitário
Hoje, olhei pra você,
Então resolvi, deixar as janelas todas abertas
De uma só vez,
Permitir, que todas as bruxas,
Minhas e suas,
Saíssem em revoada, noite a fora...
Talvez sem volta,
Hoje será enfim, o dias das bruxas,
Soltas, desamarradas, desinterditadas,
Livres, terão escolha,
Enquanto nós, permanecemos abertos...

Vera Celms
Licença Creative Commons
O trabalho DIA DAS NOSSAS BRUXAS de Vera Celms foi licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Não Adaptada.

domingo, 17 de novembro de 2013

DETECÇÃO






Todas as paredes estavam rabiscadas,
Riscadas de uns versos tais,
Que não deixavam dúvida,
Havia ali, um apaixonado !
Coraçõezinhos, letras avulsas,
Versinhos avulsos copiados,
trovas mal acabadas,
Poemetes rasos, açucarados,
Sinais de que, os olhos perdiam-se, em sonhos despertos,
Reais demais, para não existirem ao tato, de fato...
Talvez faltasse coragem,
Talvez propulsão, atitude, gesto,
Talvez, só reação,
Mas, havia ali, delicadeza,
Um quê de feminino, algo de puro,
Doce, ingênuo,
Um olhar que convidava ao toque
História contada tantas vezes,
Mas, jamais revelada verdadeira
Era mais um sonho romântico,
Mais que um desejo semântico,
Mais que um discurso retórico
Uma apuração de lembranças,
Eram memórias apaixonadas
Muito além do faz de conta,
Muito além do imaginário, do sonho,
Algo muito além do futuro planejado,
Do desejado,
Era real, de fato, real...
Paixão crescente, detectada...

Vera Celms

Roberta Flack - Killing Me Softly with his song

Uma das prediletas da vida toda !!! saudade que me traz !!!


ROBERTA FLACK ~ Bridge Over Troubled Water ~


Roberta Flack "The First Time Ever I Saw Your Face" (1969)


domingo, 10 de novembro de 2013

ESPERANDO DIZER





Não economize palavras,
Não economize o gesto
Palavras escritas, duram pra sempre
Faladas, o vento leva,
Ainda que fiquem na memória,
Mas, sem testemunhas, passam
Tente dizer tudo o que pensa e sente,
Ainda que ninguém possa entender,
Fará bem a você, dizer,
A mim, saber...
Sei, será mais difícil dizer, do que eu entender...
Mas, diga assim mesmo,
Não me mande flores
Nem cartões,
Nem presentes
Use somente palavras,
Com o olhar dentro dos meus olhos
Com um toque de mão,
E eu verei verdade,
E eu verei você...


Vera Celms
Licença Creative Commons
O trabalho ESPERANDO DIZER de Vera Celms foi licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Não Adaptada.

domingo, 3 de novembro de 2013

NOS BRAÇOS DE NÓS DOIS





Meu corpo sente,
Pressente sua chegada,
Enviando toda a circulação
Para um só ponto
Como um olor,
Ao olfato, imperceptível
Ao desejo, tão sensível
É como se meus hormônios,
enlouquecessem,
anunciando a sua chegada
Pelo alto-falante, mais uma chegada,
Mais um destino que se completa,
E eu, enlouquecida, te espero
Inquieta, procurando esgotar os espaços todos,
Caminhando...
De repente, alguém sob camisa vermelha,
Atrai todos os meus sentidos,
Pronuncio seu nome,
E nossos olhos se encontram,
Sem mais conseguirem se afastar...
A pulsação, aos poucos, toma conta,
E responde ao ritmo da respiração já ofegante
Nossos olhares, atraem nossos abraços
E nossos abraços, nos aproximam,
para um beijo e mais um beijo
Caminhamos em torno dos nossos desejos
E os avolumamos mais, provocando-os...
Precisando de nós, cada vez mais, a cada passo
Até acabar a noite, afinal,
Nos braços de nós dois...

Vera Celms
Licença Creative Commons
O trabalho NOS BRAÇOS DE NÓS DOIS de Vera Celms foi licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Não Adaptada.

sábado, 2 de novembro de 2013

COME TOGETHER - BBCOVERS (MARJORIE ESTIANO)