domingo, 18 de outubro de 2015

SEM SAIR DE MIM




O vento corria os corredores da estação
O trem, não deixava dúvidas
de que percorri o caminho todo...
Os freios zunindo sobre os trilhos
O odor da embreagem espalhado no ar
Os muros, traziam memórias escritas,
 açoitados pelo vento,
que pulava as cercas e corria os corredores da estação
pra brincar nas janelas do trem em movimento
A vontade de estar ali novamente
Memórias olfativas e táteis,
Enchi de água a pia do banheiro
Meti o rosto lá dentro
Me enfiei na banheira fria
Procurando cheiro de mar,
Nada encontrei
Só você povoa meu mundo
Procuro cheiro de pensamentos, de memória,
Como se tudo tivesse cheiro
E você não vem
Permanece inerte, solto, perdido no passado,
Sem sair de mim...

Vera Celms
Licença Creative Commons
SEM SAIR DE MIM de Vera Celms está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O que achou?